CRÍTICA | O ódio que você semeia

Por: Cinthia Hellen

Estamos acostumados a ver em filmes o racismo como parte da narrativa, nem sempre como foco principal da trama. Em O Ódio que Você Semeia, não temos todos os esteriótipos clássicos que estamos acostumados como o “branco salvador” ou o conceito de “somos todos iguais”. É a real vivência de uma família negra, de uma bairro negro onde o racismo convive com eles diarimente.

A trama vai contar a hidtória de Starr Carter (Amandla Stenberg), uma jovem negra criada em moldes para não arrumar confusão com autoridades. Logo na primeira cena do filme vemos o pai dela, Marveric (Russell Hornsby), ensinando a ela e o irmão Seven (Lamar Johnson) como se portar caso um policial os interceptassem. Todos nós sabemos que para os policiais cor define quem deve morrer.

Starr vive uma grande angustia por ter que se dividir entre duas personalidade: A que mora no gueto de Gardens Heights e a que estuda em uma escola predominatemente branca. Ela vê que na Williamson, sua escola, ela tem que ponderar suas atitudes para não ser taxada com esteriótipos típicos de negros moradores de comunidades, enquanto seus amigos tem a liberdade de agir como querem. Divida entre duas Starr, seu ponto de equilíbrio é Chris (K.J. Apa), a quem namora escodido por o mesmo ser branco. Essa relação entre duas personalidades entra em conflito quando ela reecontra seu melhor amigo de infância e primeiro amor em uma festa do seu bairro. Khalil (Algee Smith) e Starr cresceram juntos e se conhecem como ninguém. Após uma briga na festa, Khalil decide levar a amiga até em casa, mas no meio do caminho são interceptados por um policial que assassina o melhor amigo de Starr por confundir uma escova de cabelo com uma arma. A partir disso, a personagem começa a caminhar para uma autodescoberta e percebe a necessidade de usar a sua voz para lutar contra a insjutiça.

O Ódio que Você Semeia é a adaptação do livro de mesmo nome de Angie Thomas. Inspiarada por Tupac e por toda a sua vivência quanto mulher negra, Thomas fez a junção de uma história voltada para o público jovem, mas que não deixa a realidade de fora e nem a mascara como forma de deixa-la sutil. E essa essência não se perdeu quando adaptação caiu nas mãos do diretor George Tillman Jr (Homens de Honra) que soube dar o tom necessário para que a mensagem ali proposta fosse captada. Seja pelos enquadramentos nos rostos dos personagens, seja pela direção dos atores, seja pela ênfase nos momentos de falas poderosas, Tillman Jr conseguiu dar o norte necessário para que o filme causasse esse impacto.

Entretanto, o que seria um filme com um bom diretor sem ótimos atores? O elenco todo é muito bom e dão potência ao filme, principalmente a protagonista Amandla Stenberg que soube transmitir todos os sentimentos necessários e passar toda a emoção da sua personagem. Um outro destaque vai para Russell Hornsby que junto coma Amandla brilharam nas cenas de pai e filha comprovando uma química indescutível.
O Ódio que Você Semeia estreia em 06 de dezembro e promete ser o queridinho do segundo semestre, quem sabe do ano.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑