CRÍTICA | Marvel’s The Punisher – Segunda Temporada

O homem que é juiz, advogado, defensor público e policial em um só corpo, volta a ação.

A segunda temporada de Punisher volta após um fim de season que colocou interrogações na mente da maioria dos espectadores, ao tirar a guerra de um soldado. Mas se não existe mais a guerra, o que o Justiceiro fez nesta temporada? É a dúvida que tínhamos até apertar play no primeiro episódio, chamado “Briga de Bar”.

O pilot desta season traz a resposta a pergunta proposta no início desta crítica, The Punisher sempre tem algo a combater. Mesmo iniciando a temporada com um clima de austeridade em suas ações, Frank Castle (Jon Bernthal) ainda carrega o olhar de vingança que observamos durante a primeira temporada, mas agora a raiva está imbutida na sensação de justiça para aqueles que sofrem nos mais diversos jeitos.

📷 (Netflix/Reprodução)

Com a aparições de John Pilgrim (Josh Stewart) e Billy Russo (Ben Russo) como antagonistas, sendo que o primeiro é destaque durante o início e fim da season enquanto o posterior acaba sendo um grande destaque durante suas aparições, mostrando um lado diferente da sua persona da primeira temporada, agora que Russo está com perturbações mentais que fazem com que o fã prenda a atenção na sua história atual.

Após um encontro animado com o Justiceiro, Russo perde suas memórias após o impacto em uma mesa de vidro. O que faz com que Krista Dumont ( Floriana Lima) tenha uma participação importantíssima na série, revelando a psique escondida neste antagonista e também iniciando uma dúbia relação com tal personagem. Medo, raiva, angústia e puro medo em certos momentos, é o que vemos em um homem que já passou por muitos momentos que se não fossem ficção, seriam uma má sorte de proporções extraordinárias, ou punições merecidas.

📷 (Netflix/Reprodução)
📷 (Netflix/Reprodução)

Durante a temporada, o Justiceiro diáloga com violência e a moral que está interligada com questões de justiça e direitos de defesa, que para Frank Castle continuam sendo de sua competência.

Mostrando o lado emocional- passional de alguns personagens, nos antagonistas vemos também o impacto que toda a loucura – vinda da primeira temporada-, causou na estabilidade mental de cada um. Com um romance sem impacto, e com um dos “vilões” sendo facilmente descartável, a temporada de Punisher acaba sendo uma queda muito alta do nível da primeira temporada. Os fãs agora esperam a resposta da Marvel para uma futura season, que parece bem difícil de acontecer.

📷 (Netflix/Reprodução)

Nota 6.5

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑