Críticas

Crítica |Agents of SHIELD – Temporada 7 (Final)

*Atenção! Este post pode conter spoilers.

Depois de 7 anos contando histórias que envolveram HYDRA, Inumanos, extraterrestres, inteligência artificial, viagem no espaço e viagem no tempo; Agents of SHIELD retornou às suas origens e avançou entre as décadas para sua última missão.

A temporada final de Agents of SHIELD é caracterizada por diferente momentos. O primeiro conta com a equipe sendo perseguida pelos chronicoms durantes diferentes épocas, já que o grupo de vilões tem o objetivo de extinguir a organização da Terra, para que assim consigam estabelecer domínio. Nesse primeiro arco da série, os personagens transitam em diferentes versões da SHIELD, durante a sua construção no Universo, vemos de fato uma jornada desde a criação até os tempos áureos. Aqui, o roteiro consegue entregar grandes referências, momentos icônicos e boas sequências de ação e humor.

(Photo: Abc/Marvel Television/Reprodução)

O segundo momento da temporada, que ocorre no meio dos acontecimentos e surge envolvido como o início das consequências pela passagem dos agentes durante diferentes períodos, resgata os inumanos, apresentando um novo vilão que não teria sobrevivido na timeline original. Este enredo mostra-se importante para o final, contudo, a construção desse novo antagonista é o tanto quanto apressada e desesperada. Nathaniel Malick é um personagem fraco e com diálogos o tanto quanto caricatos, entretanto podemos dizer que a sua presença, apesar de tediosa, não foi desnecessária, já que o roteiro soube amarrar todos os elementos para que a narrativa fosse guiada para o grande ato final.

(Photo: Abc/Marvel Television/Reprodução)

O terceiro momento, a parte final da temporada, compreende as consequências dos dois primeiros, o colapso das interferências e a necessidade de tudo ter sido bagunçado para se consertar. É um verdadeiro filme, visto que os dois episódios finais foram inclusive exibidos juntos, e encerra com grandiosidade a missão final dos agentes, honrado cada um individualmente.

(Photo: Abc/Marvel Television/Reprodução)

É interessante observar que, neste ponto, a série tenta conectar-se os conceitos pré-estabelecidos pelo Universo Cinematográfico Marvel, elementos de ‘Vingadores: Ultimato’ são utilizados aqui, como o reino quântico e o multiverso de diferentes timelines e realidades. Esta temporada honra não só a construção de enredos e histórias próprias da série, como também se impõe como parte integrante do MCU através do uso de suas teorias. (Esse é um assunto que renderá um outro post).

Quanto ao elenco e seus personagens, todos atingem o ápice de sua construção. Se por um lado a ausência de Fitz (Iain De Caestecker) deixou um sentimento de saudade, o protagonismo de Jemma Simmons (Elizabeth Henstridge), como a grande cientista que é, e em certos momentos também líder, conseguiu agradar e muito os telespectadores. A personagem não só exibiu domínio primoroso de conhecimentos, como foi uma figura central na equipe, que além de lidar com a pressão de situações difícies, precisava superar conflitos internos e segredos pessoais.

(Photo: Abc/Marvel Television/Reprodução)

Daisy (Chloe Bennet) teve a oportunidade de mostrar todo seu potencial como agente e inumana, revisitando seu passado e reencontrando rostos conhecidos. A personagem teve a oportunidade de colocar ponto final aos seus fantasmas e ganhar um desfecho justo e adequado. Uma agradável surpresa e acréscimo de saldo positivo foi o retorno do Agente Sousa (Enver Gjokaj), apresentado na série Agent Carter, o personagem teve um química indiscutivelmente boa com toda equipe e formou um ótimo interesse romântico para a Agente Johnson.

(Photo: Abc/Marvel Television/Reprodução)

O Diretor Mack (Henry Simmons) alcançou a figura de liderança, não apenas como chefe, mas como um pai (ou irmão mais velho), que guia sua equipe com inteligência, como também com coração. E, apesar do visual grandão e sério, o personagem deve um arco de redenção emocional consigo, tendo que enfrentar seus próprios pontos fracos para crescimento próprio. Que Deke (Jeff Ward) é um excelente alívio cômico, nós já sabemos, mas nessa temporada pudemos ver outra camada do personagem, uma com sentimento altruísta e muito caridosa com seus colegas.

(Photo: Abc/Marvel Television/Reprodução)

Yo-Yo (Natalia Cordova-Buckley) e Melinda May (Ming-Na Wen) formam uma dupla de potência durante toda temporada; ambas foram figuras de força e perspicácia durante toda a série, e nessa temporada ambas tiveram a chance de mostrar faces frágeis de seus personagens, que no fim encontraram auxílio uma na outra para superar suas limitações. E, assim, tornam-se um símbolo de união feminina e alcançam suas melhores versões.

(Photo: Abc/Marvel Television/Reprodução)

Enquanto a sexta temporada parecia ter desgastado a imagem de Clark Gregg, a sétima aprimora Coulson. Em sua versão MVA (LMD), o personagem é revitalizado, em muitos momentos durante os episódios assemelha ter a jovialidade e o brilho nos olhos de sua primeira aparição no filme ‘Vingadores’, ao mesmo tempo que contém a sagacidade e as novas capacidades por ser um modelo artificial. Esta figura, que foi um elo durante muitos anos para todo o MCU, brilha em sua participação e se despede no melhor estilo Coulson.

(Photo: Abc/Marvel Television/Reprodução)

E, reiterando o que eu disse no meu post de primeiras impressões da temporada, Agents of SHIELD entrega uma ambientação muito consistente com todas as épocas e cenários que visita, mesmo sendo uma série de tv, não tendo um orçamento enorme, como nas produções do Marvel Studios. Os efeitos especiais e visuais são interessantes, as roupas são delicadas e diversificadas, casando com locações bem escolhidas.

No fim, Agents of SHIELD entrega um desfecho bem amarrado e consistente com seu universo, fazendo jus a todos personagens e entregando uma última missão digna aos fãs e aos seus protagonistas. A série não só termina em seu auge, como deixa um legado para todas futuras produções originais Marvel no formato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s